O autoconhecimento como ferramenta chave para o desenvolvimento de liderança Reviewed by Momizat on . Antes de ter a consciência sobre o outro, é necessário estabelecer uma consciência real de si mesmo Um bom líder precisa conhecer seus liderados, mas acima de t Antes de ter a consciência sobre o outro, é necessário estabelecer uma consciência real de si mesmo Um bom líder precisa conhecer seus liderados, mas acima de t Rating: 0
Você está aqui:Home » Colunas » O autoconhecimento como ferramenta chave para o desenvolvimento de liderança

O autoconhecimento como ferramenta chave para o desenvolvimento de liderança

Antes de ter a consciência sobre o outro, é necessário estabelecer uma consciência real de si mesmo

Um bom líder precisa conhecer seus liderados, mas acima de tudo precisa se conhecer primeiro, pois o autoconhecimento é a forma mais indicada para se alcançar o sucesso na liderança. A busca do autoconhecimento realiza transformações e coopera de maneira grandiosa no crescimento profissional, pois a partir desse momento oportunidades começam a aparecer. Penando nisso, Deborah Toschi, Coach de carreira e mentora para líderes e profissionais de RH, dá algumas dicas de como ser um bom líder e obter o autoconhecimento. Confira!
Quem pode ser um líder?
Todos podem ser líderes, mas nem todos querem ou mesmo estão dispostos a bancar todos os desafios e o desenvolvimento que isto envolve. A construção da liderança, não se dá quando o profissional recebe a oportunidade. Quando ele recebe, ou melhor, conquista a oportunidade de ocupar uma posição de liderança ele com certeza já percorreu um caminho, pois naturalmente buscou seu desenvolvimento, apresentou habilidades e competências necessárias para isto. A oportunidade conquistada será dada de acordo com esta construção. Aqueles que porventura recebem a oportunidade, nem sempre querem, e não se prepararam para este momento, serão fortes candidatos a exercer uma chefia e não uma liderança aos seus liderados.
O que é preciso para ser um bom líder?
Autoconhecimento, pois sem esse mapa interno fica difícil navegar nos diversos mares, e marés do mundo corporativo. Você vai enfrentar mar calmo, mas muitos mares turbulentos. Se você não conhece suas habilidades, competências e mesmo seus pontos que precisam ser desenvolvidos, ficará mais difícil. Além disso, para transitar em uma arena política você deve apresentar uma alta capacidade de relacionamento, para transitar pelos diversos grupos hierárquicos. A resiliência, que é a capacidade de adaptar-se a mudanças e superar obstáculos rapidamente em momentos de crise, é outra competência muito exigida atualmente. Então todo e qualquer profissional precisa andar de braços dados com ela. Escuta ativa, pois a equipe pede a todo o tempo para ser ouvida, e o mesmo acontece com o seu líder direto, os seus pares e demais stakeholders. Planejamento e estratégia para gerar um bom desempenho e conquistar suas metas. Comunicação e gestão de conflitostambém são importantes, pois é a base para ter um bom relacionamento. Poder de persuasão, pois sim você usará e muito com o seu time e para defender os seus projetos. Gestão e Desenvolvimento de pessoas. Porque coloco gestão e desenvolvimento, porque muitos têm uma boa gestão, mas focam no desempenho e não necessariamente se preocupam em desenvolver as pessoas do seu time.
Qual a principal dificuldade em refletir sobre si mesmo?
É muito difícil o indivíduo refletir sobre si mesmo, porque o ser humano não tem o hábito de trabalhar para si mesmo, buscar sua melhor versão. As pessoas ficam imersas a uma rotina mecânica e não colocam isto como prioridade. Mas, quando incluem qualquer atividade que propicie este autoconhecimento, geralmente se surpreendem e reconhecem o ganho e o valor.
Quais são os principais erros que um líder que não se conhece pode cometer?
Um líder que não se conhece não se sustenta na posição, ou mesmo obtém resultados significativos. Já está mais do que provado que muitos profissionais não deixam a empresa, eles deixam o líder. Em alguns casos a empresa pode não ser perfeita, mas se o líder possui aquelas competências que mencionei, está preocupado e desenvolve seu time, eles ainda podem ficar por mais tempo. Por outro lado, a empresa pode ser maravilhosa, mas o líder não é líder, neste caso não haverá chance de retenção. Além disso, a construção do seu legado será medíocre. Ele pode até ocupar o cargo, mas não construirá uma história reconhecida pelos demais.
Quais as principais ferramentas para se desenvolver?
Formação, leitura, participação em projetos dentro e fora da empresa, se envolver nos planos de desenvolvimento da sua empresa (não apenas cumprir tabela) e buscar atividades extras com profissionais da área. Participar de grupos de liderança, e buscar projetos de Coaching e Mentoria.
A opinião de terceiros pode contribuir para o autoconhecimento?
É muito importante a opinião de outras pessoas, pois você deve ter conhecimento sobre qual é o legado, a marca, a resultado que o seu trabalho causa no ambiente e nos grupos com os quais você interage. A opinião de terceiros ajuda muito no autoconhecimento, pois despertam muitas vezes o reconhecimento que aquele profissional causou no outro, e que ele pode até ter esquecido. A partir deste feedback também é possível apropriar ainda mais de suas competências.
Como o coaching pode ajudar no desenvolvimento de líderes?
Os profissionais preocupados com o seu desenvolvimento e crescimento tem sede de autoconhecimento. Muitos querem ir além das ferramentas organizacionais e ter um processo individualizado onde possam apresentar todos os seus incômodos, objetivos e metas. Existem aqueles que não encontram este espaço dentro da empresa e sabem da importância para suas carreiras, se sendo assim, decidem investir em um processo de coaching. O Coaching vai maximizar o potencial pessoal e profissional destes líderes, através do desenvolvimento de novos e efetivos comportamentos.
Todo processo visa alinhar as competências pessoais com as necessidades e perfis solicitados pelas empresas de forma a ampliar o desempenho e potencialidades de cada profissional. Além disso, o profissional também poderá construir um plano de ação para o seu desenvolvimento, e para os próximos passos na carreira, contemplando o curto, médio e longo prazo. O Coaching deve ser visto como um recurso não apenas em momentos críticos, mas também como um planejamento e prevenção para o futuro.
Uma das grandes ferramentas utilizadas neste processo é o Q.A (Quociente de Adversidade) é forma que utilizamos para medir o nível de resiliência. O profissional será estimulado a reconhecer o seu nível de resiliência diante dos diversos desafios profissionais cada vez maiores, ainda mais no cenário atual.

Deborah Toschi: Coach certificada pelo ICI – Integrated Coaching Institute. Sócia-Diretora da CAPIO Desenvolvimento Humano, especializada em Coaching de Carreira, Vida e Mentoria. Atuou em posições de liderança em RH durante 10 anos. Em sua trajetória, foi responsável pela condução de diversos projetos focados em estratégia de gestão de pessoas e desenvolvimento organizacional. Deborah cursou MBA em RH na FIA-USP e é formada em Psicologia pela Universidade São Marcos. deborah@capio.com.br | www.capio.com.br

Informações para Imprensa
* Deborah Toschi, Coach de Vida & Carreira
www.capio.com.br
deborah@capio.com.br

© 2015 Todos os direitos reservados para NB Produções

Voltar para o topo