Fraturas no idoso aumentam no inverno Reviewed by Momizat on . É de conhecimento geral que a saúde dos brasileiros melhorou devido a vários motivos, como o melhor diagnóstico preventivo de diversas doenças, tratamento de do É de conhecimento geral que a saúde dos brasileiros melhorou devido a vários motivos, como o melhor diagnóstico preventivo de diversas doenças, tratamento de do Rating: 0
Você está aqui:Home » Colunas » Fraturas no idoso aumentam no inverno

Fraturas no idoso aumentam no inverno

img_1_27_7805É de conhecimento geral que a saúde dos brasileiros melhorou devido a vários motivos, como o melhor diagnóstico preventivo de diversas doenças, tratamento de doenças que antes não eram diagnosticadas e tratadas, conscientização da população, vacinações e outros fatores.

Porém, existem algumas situações que são sazonais ao decorrer das estações do ano e também acontecem sobre aquelas pessoas que embora são cuidadas de alguma forma, têm sua saúde mais debilitada, principalmente no que se refere ao preparo físico. Tal quadro poderia melhorar se tais pessoas realizassem exercícios físicos e controle do peso corpóreo.

“Na estação do Inverno observamos uma incidência maior de fraturas em idosos, principalmente nos membros inferiores. Com a chegada do frio as pessoas idosas têm necessidade de se aquecer com mais roupas e até cobertores. O que ocorre em inúmeras e repetidas vezes é que na tentativa de se protegerem do frio com o aumento da quantidade de roupas têm dificuldade de se locomoverem no do dia a dia para as necessidades triviais (ir ao banheiro à noite, levantarem da cama para tomar um remédio, entre outras tarefas). Ao tentar realizar uma destas ações acabam se enrolando e enroscando nas meias, nos cobertores e às vezes nos tapetes”, explica o ortopedista Alexandre Yoneda.

Além disto, com as temperaturas mais baixas a pressão arterial tem uma tendência a se elevar por causa do aumento da resistência vascular periférica decorrente da vasoconstrição nos membros mais expostos ao frio. Fora isso, as pessoas diminuem a frequência das atividades físicas o que também contribui para a elevação da pressão arterial e a glicemia (em diabéticos). Por outro lado também tem o esquecimento dos idosos na medicação das doenças crônicas, o que também pode causar os descontroles de tais problemas na saúde em geral.

Uma vez o idoso acidentado com a fratura de membro inferior (na maioria das vezes é o osso fêmur), o tratamento cirúrgico passa a ser por muitas vezes inevitável e os riscos de vida são altos pertinentes a cada caso, além de mudarem completamente a rotina da casa e dos seus familiares. Muitos idosos que sofrem acidentes domésticos não têm como receber os cuidados em seus próprios lares.

A prevenção é o meio e método mais eficaz de não se passar por tais situações (dar mais atenção às necessidades dos idosos, pois todos levantam a noite para ir ao banheiro, a maioria precisa tomar medicamentos regularmente, retirar os tapetes da casa, até se possível eliminar os degraus, colocar puxadores próximos aos vasos sanitários e dentro do box-chuveiro, evitar sapatos que escorreguem ou saiam dos pés com facilidade, selecionar as roupas a serem utilizadas – que não tenham cintos ou outros detalhes que facilitariam o enroscar em portas e outros móveis da casa e etc… ). “Sabe-se que a vida pode ser mais longa para todos, contudo, esta deverá ser com o mínimo de qualidade e amparo familiar para que tenha significado e motivo de momentos felizes”, conclui o médico.

© 2015 Todos os direitos reservados para NB Produções

Voltar para o topo